fragmento perdido

sentado aqui sozinho e calado
em meio ao caos do mundo
espero por algo que ainda
não tem nome ou forma
ou até mesmo função,
tantas marcas deixadas
em meu corpo e eu espero
abandonado de espírito
por algo que atinja o peito,
que faça expurgar o latido
dos cães e as goteiras
do telhado. sentado aqui
silenciando a entrega, quase
como uma afirmação de fé
de que subitamente daremos
algum sentido aos retratos
e as coisas que permanecem
sempre as mesmas.

Postagens mais visitadas deste blog

o oceano nas pessoas

eu-anônimo

canto para minha morte